Português,
E, de súbito, já era uma vez. E depois a noite desse dia. E logo outro dia. E a sua noite correspondenteas frases do trecho acima são longas e curtas Qual a relação dessa Expresso do texto como o que está sendo narrado nesse texto

2 Respostas

Resposta de: ,

A) As frases que se apresentam neste trecho do conto são curtas.

A relação entre este aspecto com o que está sendo narrado na história acontecem porque a noite ocorreu muito rapidamente (súbito).

Justamente pela rapidez que este fenômeno aconteceu é que os trechos se deram de maneira curta, para evidenciar e ser o mais objetivo e simples possível.

B) Os termos que se repetem no início das frases são a conjunção aditiva "e".

Explicação:

Resposta de: ,

linguagem informal é a linguagem do dia a dia quando usa usa é séria

Resposta de: ,

resposta:

o período de colonização do brasil foi marcado por práticas violentas e consideradas, atualmente, como um crime aos direitos inerentes a todo ser humano, como foi o caso dos indígenas nativos do território e negros africanos, trazidos ao país, escravizados nos engenhos e submetidos a tratamentos degradantes e cruéis. mesmo após a abolição da escravatura, em 1888, por meio da lei áurea, não houve qualquer tentativa do estado de inserir os ex-escravos com equidade no mercado de trabalho e garantir-lhes bem-estar social. dessa forma, uma discriminação racista histórica persiste no brasil contemporâneo, causando pobreza e falta de oportunidades justas a essa parcela populacional e requerendo, portanto, um combate enérgico.

inicialmente, é por conta dessa situação histórica mal resolvida que grande parte dos indivíduos negros sofre com a pobreza no século xxi. de acordo com o ibge, entre as pessoas mais pobres do brasil, 3 em cada 4 são negras, revelando uma desigualdade social que torna-se, também, racial. diante desse cenário, há a manutenção contínua dessa conjuntura, pois, sem acesso a , por exemplo, tal população se submete a empregos informais, abusivos ou que não são suficientes para a garantia de uma qualidade de vida digna. a partir disso, é muito presente a ideia de que a figura negra se associa à criminalidade, desconsiderando-se o fator da pobreza como impulsionador de tal contexto e, ainda, generalizando o comportamento de toda uma etnia.

além disso, apesar das ações afirmativas aplicadas com o objetivo de garantir maior inclusão social, e profissional aos negros, há resistência em aceitar figuras negras como merecedoras de reconhecimento. em assuntos que são referentes às próprias , não é incomum ver o “embranquecimento” de figuras notáveis que foram negras, como o jornalista luiz gama e inclusive o grande escritor machado de assis, o qual aparece em diversas capas de livros com a pele de tom claro. tal negação da figura negra desestimula a parte da população que poderia se inspirar nesses nomes para buscar o sucesso, uma vez que também segundo o ibge, 54% da população brasileira se identifica como negra ou parda. assim, a consequência é clara: grupos de pessoas que não enxergam em si a possibilidade de crescimento, pois desconhecem outros que alcançaram tais objetivos.

portanto, é essencial a expansão de programas que, de fato, modifiquem a pouca aceitação negra na sociedade como forma de combater o racismo. para isso, é preciso que o ministério da educação, junto a grandes editoras brasileiras, dê mais foco a assuntos que demonstrem os grandes notáveis da cultura negra e incentive a ção desse percentual social, por meio da reformulação da bncc (base nacional comum curricular), inclusão de livros recém-lançados que abordem especialmente o assunto e oferecimento de bolsas de estudo para pessoas negras que têm o risco de evasão . dessa forma, ao mesmo tempo em que combate-se o racismo na teoria histórica, ele será combatido socialmente, por meio da inclusão.

explicação: