Português,
Eu queria saber se minha carta de reclamação esta correta ou se falta alguma coisa. Por favor sejam sinceros. Aqui esta:Rua Marte, 20 de fevereiro de 2023 À direção da correios XR Sou cliente da empresa há 4 anos desde que fiz o meu contrato, venho me sentido satisfeita com os benefícios do pacote premium, porém na tarde do dia 18 do mês 2 vejo que um pedido que eu tinha feito a 4 meses, no site oficial, tinha chegado, porem estranhei o fato do pacote estar bastante amassado e com quase nenhuma proteção, e como esperado o meu produto veio com vários defeitos. Logo ao ver o desserviço, eu fiz uma ligação ao assistente do cliente, quando me atenderam falei do meu plano e do estado do meu produto, mas a assistente disse que não podia fazer nada além de me encaminhar até o e-mail da empresa, então aqui estou para fazer uma reclamação formal sobre o meu aparelho, entretanto, se nada for resolvido terei que entrar com um processo judicial sobre a empresa. Espero poder contar com a seriedade da empresa, desde já, agradeço. Atenciosamente, Maria Cecília da Cruz Silva.

2 Respostas

Resposta de: ,

resposta:

No local e data, você não coloca a sua rua. Coloca a cidade.

Você se apresentou e descreveu a situação. Usou bem os conectores textuais. Pode melhorar a pontuação e a divisão dos períodos.

Explicação:

se for tarefa escolar, está ok. Se a carta for verdadeira você deve incluir o código da postagem. Seria bom, também, retirar os trechos de ameaça. Essa etapa ainda é tentativa de solução amigável :)

Resposta de: ,

resposta:

a maluca da minha vizinha

  eu tenho uma vizinha que a cada dia que passa fica mais maluca. ela canta quase gritando (músicas que ninguém conhece), e vive brigando com seu marido.

          certo dia eu estava assistindo tv quando ouvi uma gritaria: era minha vizinha tendo outra discussão barulhenta com o coitado do seu marido, dessa vez, a coisa parecia séria. no meio de tanto barulho, escutei algo como: "eu já me cansei de você, eu disse para não fazer isso". fiquei assustada. então decidi ir até a casa da minha vizinha acalmar as coisas. quando entrei em seu quintal, a vi gritando bem, só via sombras de onde estava, ela parecia que estava batendo em seu marido, mas desconfiei, ela podia ser maluca, mas nem tanto! quando ia entrar para acalmar a situação, mudei de idéia e voltei para casa.

              vinte minutos depois, resolvi ligar para minha vizinha para ver se tudo estava bem.

              - alô? é a dona maria que está falando?

              - olá, é ela mesma, o que você quer?

              - seu marido está aí? - queria ter a certeza que ele estava bem depois da discussão.

              - ele não pode falar agora, nem mais tarde – ela desligou.

    ela matou o coitado, pensei. só podia ser isso! depois de alguns dias, minha vizinha me ligou e disse:

              - alô? você que é exterminadora, sabe como posso tirar cheiro de coisa morte da minha casa? - ela disse.

                - mas por que a senhora gostaria de fazer isso?

                - tem algo aqui que não agüento mais, tudo culpa dele – disse ela.

                - bem, talvez algum produto específico possa ajudá-la – desliguei imediatamente, assustada.

                essa era a prova final. a maluca da minha vizinha matara seu marido. eu precisava fazer algo. decidi ir até a casa dela tirar satisfações. fui com um taco de beisebol, só para garantir. cheguei lá gritando:

                - o que a senhora por que matou o seu marido? vou chamar a polí!

                ela me olhou com uma cara assustada e disse:

                - do que está falando?

              lá estava eu, com um taco de beisebol apontado para minha vizinha, enquanto gritava com ela, então vi seu marido descendo as escadas e dizendo:

                - você viu aquele antigo esqueleto que eu usava para dar aulas de ciências?

                me senti a pessoa mais estúpida do mundo, eu não poderia falar mais nada além de:

                - me desculpa, foi um grande engano.

                minha vizinha me encarou e disse:

                - tudo bem, não é a primeira vez que isso acontece.

              fui para casa, e então, a partir daquele dia, percebi que sou tão maluca quanto minha vizinha.

Resposta de: ,

resposta:

quando você pensar que for uma resposta boa e que realmente for uma resposta eu sempre estarei aqui